consumidor e pandemia

Pós pandemia já é um dos tempos mais aguardados deste século, e a gente precisa falar sobre ele, tentar entendê-lo e nos preparar de alguma forma.

Trabalhar com o direito do consumidor é constantemente buscar entender como o consumo está atualmente e como ele estará daqui a algum tempo. Mas com a pandemia isso se tornou cada vez mais difícil.

Como o consumidor se comportava antes da pandemia?

Antes do coronavírus, podíamos observar que as pessoas estavam realmente começando a realizar compras online. Segundo um estudo realizado em agosto/2019 pela NZN 74% dos consumidores brasileiros preferiam a compra online.

Esse já era um indicativo de que no futuro grande parte das compras seriam realizadas online. Mas, não quer dizer que ainda não rolasse um “namoro” presencial. Eu mesma conheço várias pessoas que visitavam a loja do shopping de determinada marca, olhava, pegava, experimentava e depois concluía a compra pelo meio digital.

Ao contrário, também haviam pessoas que realizam as pesquisas de forma online, analisavam a descrição do produto, anotavam o preço em cada uma das lojas e ao final preferia comprar na loja física. Especialmente se houvesse o quesito urgência aqui, já que a entrega na loja física é imediata e na loja virtual não.

Havia também uma supervalorização do produto internacional. Ora, se o produto é importado é bom! O que na prática não é sempre verdade.

Muitas vezes os consumidores se deslocavam longas distâncias para adquirir determinado produto, principalmente se considerarmos lojas de shopping. Apesar de não haver shoppings próximos às suas casas. Tudo isso simplesmente pelo prazer de ter determinada marca que só tem loja em shopping.

Uma última coisa é a questão da consciência ecológica ou até de saúde. Já era bem comum ver por ai restaurantes veganos, canudos recicláveis e sacolas biodegradáveis. São pessoas e consumidores que já se preocupavam com a questão ambiental, uma questão intimamente ligada a nossa sobrevivência e a saúde dos seres humanos e do planeta.

Como será o consumo pós pandemia?

Aqui então vai a minha opinião acerca desse tema e abaixo espero a sua opinião também sobre o assunto.

Acredito que a pandemia acelerou drasticamente algumas mudanças, como a compra online. Não que ela não estivesse crescendo, mas o processo que demoraria anos foi resumido a algumas semanas.

Para observar esse efeito basta acompanhar a quantidade de comércios locais que começaram a te seguir no Instagram. Milhares de pequenos e médios empresários que subitamente perceberam que as redes sociais eram a sua única opção para atrair clientes e gerar renda.

Então, o primeiro ponto que acredito que irá permanecer será uso maior das redes sociais e da internet como forma de atração de clientes. O que, repito, já era uma tendência que foi expandida bombasticamente.

Outra questão que está surgindo agora mas que acredito será tendência no mundo pós pandemia é justamente a percepção, pelos consumidores, da quantidade de micro e pequenas empresas próximas a ele. E, mais do que isso, que o produto dessas empresas é bom e que, talvez, ela não precise ir tão longe para encontrar o que ela precisa.

Também acredito que, pós pandemia, os consumidores irão valorizar mais o consumo dos produtos brasileiros. Isso porque, a nossa ciência, que já era percebida pelo mundo afora, está começando a ser percebida agora.

Assim, por exemplo, podemos todos pensar: porque comprar respiradores chineses se podemos produzir o nosso aqui no Brasil mais barato?

Esses são todos pontos a se pensar… e você o que acha que acontecerá no mundo pós pandemia?

Gostou desse artigo? Deixe um comentário!

Se tiver alguma dúvida, esta é uma das áreas que atuo, clique aqui.

Eu também estou no Instagram, me segue lá @barbaralopes.adv!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *